24.1.12

DIA DO APOSENTADO



"Por muito tempo eu pensei que a minha vida fosse se
tornar uma vida de verdade.

Mas sempre havia um obstáculo no caminho, algo a ser ultrapasado antes de começar a viver. Um trabalho não terminado, uma conta a ser paga. Aí sim, a vida de verdade começaria.

Por fim, cheguei a conclusão de que esses obstáculos eram a minha vida de verdade.

Essa perspectiva tem me ajudado a ver que não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho!

Assim, aproveite todos os momentos que você tem. E aproveite-os mais se você tem alguém especial para compartilhar, especial o suficiente para passar seu
tempo; e lembre-se que o tempo não espera ninguém.

Portanto, pare de esperar até que você termine a faculdade;
 
Até que você volte para a faculdade;
 
até que você perca 5 quilos;
 
até que você ganhe 5 quilos;
 
até que você tenha tido filhos;
 
até que seus filhos tenham saído de casa;
 
até que você se case; até que você se divorcie;

Até sexta à noite;
até segunda de manhã;
até que você tenha comprado um carro ou uma casa nova;
até que seu carro ou sua casa tenham sido pagos; a
té o próximo verão, outono, inverno;
 
até que você esteja aposentado;
até que a sua música toque...
...não há hora melhor para ser feliz do que  AGORA.MESMO...

Lembre-se: Felicidade é uma viagem, não um destino"
Autor: (Alfred Henfil)
Saiba como surgiu o Dia do Idoso
Brasil Escola

No dia primeiro de outubro comemora-se o dia internacional das pessoas idosas, sendo que a data foi criada pela ONU (Organização das Nações Unidas) a fim de qualificar a vida dos mais velhos, através da saúde e da integração social.

As pessoas idosas são aquelas com mais de sessenta e cinco anos, condição esta determinada pela Organização Mundial de Saúde, que os caracteriza como grupo da terceira idade.
O surgimento da data foi em razão de uma Assembleia Mundial sobre envelhecimento, realizada em Viena, na Áustria, em 1982.

Para envelhecer bem é necessário que a pessoa, ainda na idade adulta, pratique esportes de acordo com sua capacidade física, mantenha uma alimentação saudável e de qualidade, participe de programas de integração social, mantendo relacionamentos com outras pessoas de sua idade, pratique atividades produtivas, etc.

Envelhecer não é um processo fácil, muitas vezes causa depressão, desânimo, pois as pessoas vão sentindo que não tem mais valor para o trabalho, nem para seus entes queridos e familiares.

É comum vermos pessoas colocando idosos em casas de repouso, para não ter obrigação e cuidados com os mesmos. Isso é uma falta de consideração e de responsabilidade social, pois os direitos dos idosos encontram-se na Constituição do Brasil.

No ano de 2003 foi criado o Estatuto do Idoso, que garante que seus direitos sejam respeitados. O regulamento traz várias disposições como: não ficar em filas; não pagar passagem de ônibus coletivo; descontos em atividades de cultura, esporte e lazer; adquirir medicamentos gratuitos nos postos de saúde; vagas de estacionamento; dentre outras, medidas em respeito à fragilidade em que os mesmos se encontram.

É preciso que sejam tratados com reverência e consideração, por serem mais velhos e por terem mais experiência de vida, aspectos fundamentais para a sua estabilidade emocional.

Sendo assim, estando com o lado emocional equilibrado, a saúde mental será muito mais valorizada e proveitosa.

No Brasil, a comemoração é feita no dia 27 de setembro, dia de São Vicente de Paula, o pai da caridade, tendo sido adotada a partir de 1999, para considerar as dificuldades, direitos e deveres a que estão sujeitos.
Entrevista com um aposentado feliz
P: - Para o aposentado, quantos e quais dias tem uma semana?
R: - Seis sábados e um domingo.

P: - Qual é o dia do mês mais feliz para os aposentados?
R: - O dia do recebimento da pensão da aposentadoria.

P: - E quais são os meses mais felizes para os aposentados?
R: - Setembro e Dezembro.

P: - Por que?
R: - Porque o INSS paga as metades do nosso 13º salário.

P: - A que horas costuma ir se deitar?
R: - Três horas depois de ter adormecido no sofá.


P: - Qual é a maior chatice para os aposentados?
R: - Não ter tempo suficiente para fazer qualquer coisa.

P: - Por que é que os aposentados não dão importância de serem chamados de idosos?
R: - Porque podemos ter descontos em muitos locais, e, em quase todos, existem filas só para nós.

P: - Cite outra vantagem de ser aposentado.
R: - Ser praticamente isento do Imposto de Renda. (EPA!!!)

P: - Fora as próprias residências, quais são os locais mais frequentados pelos aposentados?
R: - Farmácias, laboratórios de exames médicos, clínicas ou ambulatórios municipais, cemitérios.

P: - Cemitérios? Porque?
R: - Sim! Porque pra nós, aposentados, parece que acontecem mais enterros de aposentados do que de não aposentados. Devemos ir lá sempre quando algum dos nossos abotoa as botas pra saber quantos estamos restando.

P: - Cite algumas coisas consideradas como grandes feitos entre os aposentados. 

R: - Amarrar os sapatos, achar os óculos, abotoar corretamente a camisa, não trocando o botão de sua respectiva casa, fechar a braguilha, lembrar da data do próprio aniversário, não tossir para não engasgar quando tomar comprimidos... 

P: - Qual é a pior merda que um aposentado pode fazer?
R: - Literalmente, esquecer de botar o fraldão!

P: - Por que é que os aposentados contam os trocos?
R: - Porque são os únicos que têm tempo para fazer isso.

P: - Qual é o termo comum para alguém que gosta de trabalhar e vive se recusando a aposentar-se?
R: - Bobalhão! Ou babacão!

P: - Por que é que os aposentados adiam tanto a limpeza da varanda dos fundos e da garagem?
R: - Porque eles sabem que assim que o fizerem, seus filhos começarão a amontoar todas as tralhas deles lá.

P: - A quê os aposentados chamam de um longo almoço?
R: - Qualquer um!

P: - Qual a melhor definição para a aposentadoria?
R: - Eterna pausa para o café.

P: - Qual a maior vantagem em voltar às aulas?
R: - Se faltar, ninguém telefona aos pais.

P: - Por que é que um aposentado diz muitas vezes que não tem saudades do trabalho?
R: - Porque é bonito dizer a verdade!

P: - O que é que os aposentados fazem durante toda a semana?
R: - Segunda à sexta, nada; sábado e domingo descansam, porque ninguém é de ferro!

P: - O que é que o aposentado mais usa?
R: - Conjunto de moleton ou, se estiver cansado ou indisposto, o pijama mesmo, que não precisa nem ser trocado ao se levantar!

P: - E do que ele mais gosta?
R: - Do assento do sofá!

P: - Cite algumas coisas que deixam um aposentado irritado.
R: - Ler bula, procurar e conseguir ler número de telefone na lista telefônica, ler manuais de instrução ou de operação de aparelhos de informática ou de câmeras fotográficas.

P: - Onde os aposentados passam a maior parte do tempo?
R: – Os mais gagás na frente da TV, os mais espertos, mandando PPS pros amigos e os cus-de-ferro desmontando mensagens recebidas em pps, como esta aqui, e mudando-as para ppt para acrescentar mais besteiras.

Postado por Norival R. Duarte 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro ler seu comentário! Beijos!

Eu sou Lúcia Martinelli

Minha foto

Eu sou Lúcia Martinelli, nasci em 28.06. Sou filha de Cândido Martinelli e Maria Grando, estudei em Passo Fundo RS, nas escolas Alfredo Pujol, Notre Dame, Joaquim Fagundes dos Reis e Cursei o 2º grau no Colégio Bom Conselho e o ensino superior na Universidade de Passo Fundo e fiz Pós –Graduação em Alfabetização Construtivista na UPF com o GEEMPA e conclui 1989. Hoje moro em Balneário Camboriú e estou fazendo todas as leituras que gostaria de ter feito e não tinha tempo para faze-las. Estou amando!

 

Trabalhei na Faculdade de Odontologia da UPF e fui secretária e auxiliar odontológico.

Exerci a função do magistério na rede particular de ensino, no Colégio Notre Dame por onde me aposentei e na rede municipal nas escolas Vidal Colussi, Fundação Educacional do Menor, UPF em Assessoramento Construtivista, Notre Dame Municipal e Antonino Xavier, onde me aposentei. Aleluia!!!

Trabalhei em turmas pela ordem dos acontecimentos: multiseriada (de pré a 4ª série) todos na mesma sala, Jardim, Pré, 1ª série, 2ª série, 2º ano, 3ª série, 4ª série, 5ª série e 1º ano do 2º grau.

Sou professora por opção porque adoro o ato de ensinar e aprender, o convivio com as crianças sentir a mundança e o crescimento acontecendo no dia a dia, ser o elo mediador entre aluno e conhecimento desafiando e apoiando para que o processo de aprendizagem aconteça o mais rápido possível. A experiência da alfabetização é algo indiscritível, só experimentando para saber a delicia da magia que é “o ver acontecer”.

 

A educação é um processo contínuo que toma o homem sobre sua responsabilidade desde a infância até a morte.

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI
ATIVIDADES E PROJETOS