16.6.09

Conte e encante...

O sanduiche da Maricota

Avelino Guedes
Galinha Maricota: preparou um sanduíche: pão, milho, quirera e ovo.
Mas quando ia comer... tocou a campainha.
Era o Bode Serafim que olhou o sanduíche e exclamou: vixe! falta aí capim!
Aí chegou gato Kim, cumprimentou a galinha, e vendo o sanduíche, palpitou: falta a sardinha;
João o cão, também veio com jeito de bom moço. E educado sugeriu: coloquem um bom osso.
Sempre zumbindo e agitada, chegou a abelha Isabel. Olhou o esquisito recheio: melhora se puser mel;
Da janela, ouvindo o papo, muito metido a bacana, falou, convencido, o macaco: Claro que falta banana.
Banana? Sardinha? Mel? Era o rato Aleixo: Milho? Osso? Capim? Argh!!! Vocês esqueceram o queijo;
A brincadeira acabou quando a raposa Celinha olhou bem pra Maricota e falou: falta galinha.
Maricota ficou brava: Fora daqui, minha gente! -Jogou fora o sanduíche e começou novamente.Pão, milho, quirera e ovo. Como era para ter sido. Quem quiser que faça o seu com o recheio preferido.
Acróstico
O acróstico é uma forma poética de redigir com carinho Saber para quem escreve, para que se escreve, como escrever,
porque escrever e de que maneira escrever? Encantar-se com palavras, expressões, nomes que nos são especiais... Garantir-se no poder viajar em pensamentos, imaginação e sentimento Reportar-se num jeito de ser especial Entender que somos capazes, importantes e cheios de vida Deixar a mente livre de todo e qualquer impedimento. Olhar dentro da alma, do coração e ouvir palavras de amor. Deter-se a detalhes que nos encaminhem para o melhor Orgulhar-se de ser gente que é gente Amar acima de tudo, sorrir, viver as alegrias e compartilhar Crer em Deus e em um mundo melhor Realizar-se de momentos significativos. Olhar nos olhos do outro e olhar internamente Ser o que é, independente do que os outros desejam ser. Ter a vida nas mãos e desabrochar a cada dia como flor Imaginar-se nas pétalas de uma rosa... Carregar-se de carinho, ternura e inspirações. Ouvir a voz de um amor maior, que "conhece o que é verdade,
é bom, não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece”.Pois, sem amor nada seríamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro ler seu comentário! Beijos!

Eu sou Lúcia Martinelli

Minha foto

Eu sou Lúcia Martinelli, nasci em 28.06. Sou filha de Cândido Martinelli e Maria Grando, estudei em Passo Fundo RS, nas escolas Alfredo Pujol, Notre Dame, Joaquim Fagundes dos Reis e Cursei o 2º grau no Colégio Bom Conselho e o ensino superior na Universidade de Passo Fundo e fiz Pós –Graduação em Alfabetização Construtivista na UPF com o GEEMPA e conclui 1989. Hoje moro em Balneário Camboriú e estou fazendo todas as leituras que gostaria de ter feito e não tinha tempo para faze-las. Estou amando!

 

Trabalhei na Faculdade de Odontologia da UPF e fui secretária e auxiliar odontológico.

Exerci a função do magistério na rede particular de ensino, no Colégio Notre Dame por onde me aposentei e na rede municipal nas escolas Vidal Colussi, Fundação Educacional do Menor, UPF em Assessoramento Construtivista, Notre Dame Municipal e Antonino Xavier, onde me aposentei. Aleluia!!!

Trabalhei em turmas pela ordem dos acontecimentos: multiseriada (de pré a 4ª série) todos na mesma sala, Jardim, Pré, 1ª série, 2ª série, 2º ano, 3ª série, 4ª série, 5ª série e 1º ano do 2º grau.

Sou professora por opção porque adoro o ato de ensinar e aprender, o convivio com as crianças sentir a mundança e o crescimento acontecendo no dia a dia, ser o elo mediador entre aluno e conhecimento desafiando e apoiando para que o processo de aprendizagem aconteça o mais rápido possível. A experiência da alfabetização é algo indiscritível, só experimentando para saber a delicia da magia que é “o ver acontecer”.

 

A educação é um processo contínuo que toma o homem sobre sua responsabilidade desde a infância até a morte.

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI
ATIVIDADES E PROJETOS