8.9.13

E um rinoceronte dobrado



Biografia do autor Hermes Bernardi Jr

Nasci em São José do Ouro, interior do Rio Grande do Sul, durante a nevasca que assolou o Norte do Estado em 1965. E, desde sempre, desenvolvi um gosto especial por caixas. Dentro delas é um lugar quentinho, acredito. Moro em Porto Alegre.
Estudei edificações. Queria construir casas, que nada mais são do que caixas onde as pessoas habitam. No meio do caminho, descobri o Teatro, e dediquei-me a recontar no palco alguns dos livros que lia. A vontade de construir casas deu lugar ao desejo de construir outros mundos, utilizando as palavras.
Em 1998, publiquei meu primeiro livro, e desde então publiquei nove títulos em nove anos de trajetória.
O décimo título foi E um rinoceronte dobrado, em 2001 conquistei a condecoração Ordem do Livro: amigo do Livro. Dentre os livros infantis: E um rinoceronte dobrado e Planeta Caiqueira. Conquistei o prêmio Tibicuera de Teatro - categoria Melhor Dramaturgia Original pelo espetáculo Pé de sapato.
Atualmente dirijo o grupo de teatro Hora Vaga da cidade de Garibaldi.



Completar o caça palavras sobre a biografia do autor:
Nasceu na cidade de...
No estado do ...
A cidade do autor fica situada no ...
Ele desenvolveu um gosto por ...
Quantos títulos publicou em 9 anos ...
O décimo titulo do autor é ...
Em 2001 conquistou a condecoração ...
Grupo de teatro que dirige na cidade de Garibaldi ...
Livros infantis: E um rinoceronte dobrado e ....

W
V
S
X
S
A
O
J
O
S
E
D
O
O
U
R
O
B
V
V
B
F
X
N
O
V
E
T
I
T
U
L
O
S
H
O
R
A
V
A
G
A
A
M
I
G
O
D
O
L
I
V
R
O
Z
C
A
I
X
A
S
X
F
Q
P
L
A
N
E
T
A
C
A
I
Q
U
E
R
I
A
K
J
L
G
E
U
M
R
I
N
O
C
E
R
O
N
T
E
D
O
B
R
A
D
O
Q
W
X
C
N
O
R
T
E
D
O
E
S
T
A
D
O
T
Y
H
F
R
I
O
G
R
A
N
D
E
D
O
S
U
L
M
V
F
R
T
Y
U

E um rinoceronte dobrado
O que eu colocaria numa caixa de sapatos?
Pouca coisa com certeza...
Colocaria um retrato de família, um rato dependurado numa ilha e um macaco de patins.
Um prendedor de cabelo, elástico, trinta e sete quindins e um regador de flor de plástico!
Colocaria uma fotografia, uma radiografia do pé, a dentadura da minha tia e todos os sabores de picolé.
Colocaria na caixa um guardanapo borrado e um rinoceronte dobrado.
Um elefante num alfinete de segurança, uma foto de quando criança e uma aliança.
Colocaria na caixa um papel de bombom, uma onça de batom e um leão de salto alto.
Um coração, uma girafa amarrada em linha, um botão e duas dúzias de galinhas.
Dentro da minha caixa de sapatos eu colocaria uma borboleta colorida, uma chupeta lambida e duas cascas de ferida.
Na caixa eu colocaria um pente de pulga, cinco bolas de sorvete e dois quilos de quando eu era contente.
Um cílio, um trilho, uma ruga e um casco de tartaruga.
Colocaria na caixa uma tiara, o bilhete da Nara e o vôo de pássaros em extinção. Colocaria um momento de chuva e uma zebra fantasiada de cacho de uva.
Uma juba de leão e uma abelha sem ferrão. Uma mecha de cabelo e o banho de mar em fevereiro.
Colocaria uma coroa e dois brincos de princesa, um pedaço de pureza e uma vaca disfarçada de tigresa.
Colocaria na caixa uma caneta enluarada e um cometa, um relógio sem ponteiros, e guardaria toda hora o tempo inteiro.
Colocaria um sonho e um monstro medonho. Um saquinho de beleza e o resto de tristeza.
Um botão de futebol e um jacaré de paletó, uma correntinha da minha avó com a foto do meu avô.
Colocaria na minha caixa de sapatos o que é assado, o que é assim, e os sorrisos de quem um dia sorriu pra mim.
Colocaria a medalha de natação e o dente de leite do meu irmão. Colocaria duzentas e seis meias fedidas de três minhocas exibidas.
Colocaria um anzol e cinco mil besteiras enroladas no par de chuteiras com que eu fiz gol na sexta-feira.
Colocaria o melhor chapéu cheio de pensamentos embalados em mel e um desenho em lápis de cor com todas as estrelas do céu.
Só isso eu colocaria na minha caixa de sapatos! Mas se sobrasse um espaço (se não sobrasse eu apertaria tudo para o lado) dentro da caixa eu colocaria um pouco, nem que fosse só um pouquinho, de versos de toda e qualquer poesia.

E em sua caixa de sapatos o que você colocaria?
ATIVIDADE:
RECORTAR OS PEDACINHOS DO TEXTO, COLAR NUMA BOLA, FORMAR UM CIRCULO. UM JOGA A BOLA AO OUTRO COLEGA. AQUELE QUE RECEBE FALA O PEDAÇO DO TEXTO.
1. O que eu colocaria numa caixa de sapatos?
Pouca coisa com certeza...
Colocaria um retrato de família, um rato dependurado numa ilha e um macaco de patins.
2. Um prendedor de cabelo, elástico, trinta e sete quindins e um regador de flor de plástico!
Colocaria uma fotografia, uma radiografia do pé, a dentadura da minha tia e todos os sabores de picolé.
3.Colocaria na caixa um guardanapo borrado e um rinoceronte dobrado.
Um elefante num alfinete de segurança, uma foto de quando criança e uma aliança.
Colocaria na caixa um papel de bombom, uma onça de batom e um leão de salto alto.
Um coração, uma girafa amarrada em linha, um botão e duas dúzias de galinhas.
4. Dentro da minha caixa de sapatos eu colocaria uma borboleta colorida, uma chupeta lambida e duas cascas de ferida.
Na caixa eu colocaria um pente de pulga, cinco bolas de sorvete e dois quilos de quando eu era contente.

5. Um cílio, um trilho, uma ruga e um casco de tartaruga.
Colocaria na caixa uma tiara, o bilhete da Nara e o vôo de pássaros em extinção. Colocaria um momento de chuva e uma zebra fantasiada de cacho de uva.
6. Uma juba de leão e uma abelha sem ferrão. Uma mecha de cabelo e o banho de mar em fevereiro.
Colocaria uma coroa e dois brincos de princesa, um pedaço de pureza e uma vaca disfarçada de tigresa.
7. Colocaria na caixa uma caneta enluarada e um cometa, um relógio sem ponteiros, e guardaria toda hora o tempo inteiro.
Colocaria um sonho e um monstro medonho. Um saquinho de beleza e o resto de tristeza.
8. Um botão de futebol e um jacaré de paletó, uma correntinha da minha avó com a foto do meu avô.
Colocaria na minha caixa de sapatos o que é assado, o que é assim, e os sorrisos de quem um dia sorriu pra mim.
9. Colocaria a medalha de natação e o dente de leite do meu irmão. Colocaria duzentas e seis meias fedidas de três minhocas exibidas.
Colocaria um anzol e cinco mil besteiras enroladas no par de chuteiras com que eu fiz gol na sexta-feira.

10. Colocaria o melhor chapéu cheio de pensamentos embalados em mel e um desenho em lápis de cor com todas as estrelas do céu.
Só isso eu colocaria na minha caixa de sapatos! Mas se sobrasse um espaço (se não sobrasse eu apertaria tudo para o lado) dentro da caixa eu colocaria um pouco, nem que fosse só um pouquinho, de versos de toda e qualquer poesia.

FAÇA BOM USO. BJS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro ler seu comentário! Beijos!

Eu sou Lúcia Martinelli

Minha foto

Eu sou Lúcia Martinelli, nasci em 28.06. Sou filha de Cândido Martinelli e Maria Grando, estudei em Passo Fundo RS, nas escolas Alfredo Pujol, Notre Dame, Joaquim Fagundes dos Reis e Cursei o 2º grau no Colégio Bom Conselho e o ensino superior na Universidade de Passo Fundo e fiz Pós –Graduação em Alfabetização Construtivista na UPF com o GEEMPA e conclui 1989. Hoje moro em Balneário Camboriú e estou fazendo todas as leituras que gostaria de ter feito e não tinha tempo para faze-las. Estou amando!

 

Trabalhei na Faculdade de Odontologia da UPF e fui secretária e auxiliar odontológico.

Exerci a função do magistério na rede particular de ensino, no Colégio Notre Dame por onde me aposentei e na rede municipal nas escolas Vidal Colussi, Fundação Educacional do Menor, UPF em Assessoramento Construtivista, Notre Dame Municipal e Antonino Xavier, onde me aposentei. Aleluia!!!

Trabalhei em turmas pela ordem dos acontecimentos: multiseriada (de pré a 4ª série) todos na mesma sala, Jardim, Pré, 1ª série, 2ª série, 2º ano, 3ª série, 4ª série, 5ª série e 1º ano do 2º grau.

Sou professora por opção porque adoro o ato de ensinar e aprender, o convivio com as crianças sentir a mundança e o crescimento acontecendo no dia a dia, ser o elo mediador entre aluno e conhecimento desafiando e apoiando para que o processo de aprendizagem aconteça o mais rápido possível. A experiência da alfabetização é algo indiscritível, só experimentando para saber a delicia da magia que é “o ver acontecer”.

 

A educação é um processo contínuo que toma o homem sobre sua responsabilidade desde a infância até a morte.

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI
ATIVIDADES E PROJETOS