13.6.11

GENEROS TEXTUAIS


gêneros textuais




















 
 
A raposa e as Uvas

Uma raposa passou por baixo de uma parreira carregada de uvas. Ficou logo com muita vontade de apanhar as uvas para comer.
Deu muitos saltos, tentou subir na parreira, mas não conseguiu.
Depois de muito tentar foi-se embora, dizendo:
- Eu nem estou ligando para as uvas. Elas estão verdes mesmo...

                                     Ruth Rocha. Fábulas de Esopo, São Paulo, FTD,1992.



1- No texto acima, a expressão grifada SE substituiu:

a) a raposa
b) as uvas
c) a parreira
d) Ruth Rocha



2- Quem é a autora do texto?

a) A raposa
b) São Paulo
c) FTD
d) Ruth Rocha


Venha logo me visitar. Você vai ver que lindas praias temos no litoral de São Paulo.



3- De onde foi copiada esta frase?

a) anúncio
b) carta
c) jornal
d) livro



Naquela tarde, que estava chuvosa, saí com um vestido, que era vermelho, para visitar meu amigo, que estava resfriado. Na praça, que fica perto do cinema, encontrei minha tia, que ficou contente de me ver.


4- A que se refere a palavra que sublinhada no texto?

a) amigo resfriado
b) tarde chuvosa
c) tia contente
d) vestido vermelho


Querido Marcelo,

Parabéns por estar estudando mais. As suas notas até já melhoraram! Gostaria que, agora, você aumentasse um pouco o tamanho da sua letra. Ás vezes, fica difícil ler o que escreve de tão pequeno.

Um beijo da Professora Tereza


5- A palavra difícil no texto, tem o mesmo sentido que:

a) perigoso
b) improvável
c) complicado
d) desfavorável

Lúcia saiu de casa toda prosa, com seus sapatos novos. Estava se sentido uma princesa, com aqueles sapatinhos brancos! De repente... BRUM! Um trovão e, logo, logo, a maior chuva! “Meus sapatos!” Pensou ela, apavorada. Mas teve uma idéia: tirou os sapatos, escondeu-os embaixo do braço e seguiu seu caminho, descalça, brincando nas poças d’água.


6- Que solução Lúcia encontrou?

a) Esconder-se da chuva
b) Esperar a chuva passar
c) Limpar os sapatos novos
d) Tirar os sapatos novos



Valmir estava lendo uma revista e encontrou uma palavra que não conhecia.



7- Onde ele foi procurar o significado?

a) Atlas
b) Dicionário
c) Enciclopédia
d) Lista telefônica



Carmem pôs a sopa no prato de Carlinhos e ele reclamou:
- Sopa de novo? Esta casa parece um hospital...


8- O que Carlinhos quis dizer?

a) Ele não gosta de hospital
b) O prato está muito cheio
c) Sopa é comida de doente
d) Ninguém gosta de sopa.


Se eu fosse tomate

Se eu fosse um tomate ia ser duro, porque, sinceramente odeio tomate.
A pior coisa da vida, pior que chuva nas férias, nota baixa ou ser pego em flagrante, e a gente não gostar da gente mesmo.


9- Para o menino, qual é a pior coisa da vida:

a) nota baixa
b) não gostar da gente mesmo
c) ser pego em flagrante
d) chuva nas férias



Numa viagem de carro de São Paulo a Brasília, a gente atravessa os Estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, até chegar ao Distrito Federal. Pode-se passar umas horas divertidas em Araxá, Minas Gerais, que tem um balneário muito interessante. Em Ribeirão Preto, São Paulo, vale a pena conhecer o Parque da Cidade. A cidade de Cristalina, em Goiás, tem pedras semi-preciosas de todas as cores.



10- Onde fica o Parque da Cidade?

a) Distrito Federal
b) Goiás
c) Minas Gerais
d) São Paulo.





Muita gente acredita que faz mal comer manga com leite. Há muito tempo essa crença passa de pais para filhos. Mas o médicos afirmam que não há problema, pois essa mistura nunca faz mal.



11- Qual a opinião dos médicos?

a) Essa mistura nunca faz mal.
b) Há tempo as pessoas pensam assim.
c) Manga com leite faz mal.
d) Muita gente acredita que faz mal.



O Trem de Ferro

O dono da fazenda estava na rede na varanda de casa, quando veio um carro buzinando, calmamente ele foi abrir o portão e desceram os engenheiros.
- Viemos informar que a nova ferrovia vai passar dentro de sua fazenda. Disse um dos engenheiros.
- Ferr... o que, moço?
- Ferrovia... o trem de ferro!- Repetiu o engenheiro.
- O senhor ta dizendo que o trem vai passar aqui dentro da minha fazenda?
- Exatamente.
Então, calmamente o fazendeiro disse:
- Olha aqui moço. Se o trem quiser vir, pode vir. Mas se ta achando que, todo dia, eu vou abrir a porteira pra ele passar , ta muito enganado.

                                       Ziraldo, anedotinhas do Bicho da Maça São Paulo:Melhoramentos.



12 – Os engenheiros chegaram à fazenda para informar ao dono que:

a) Eles eram os novos donos da fazenda
b) O trem de ferro passaria dentro da fazenda dele
c) Ele precisaria abrir a porteira todos os dias
d) A ferrovia queria comprar sua fazenda



13 – Quem é Ziraldo?

a) O dono da fazenda
b) O engenheiro
c) O autor do texto
d) O dono da ferrovia



 Joãozinho se queixou à mãe:


- Mãe, tem um percevejo na parede.
- Cale a boca, João. E não é percevejo. É prego.
- Mãe, tem um percevejo na parede.
- Não amole. Já disse que é um prego.
- Mãe... tem um prego andando na parede.

14 – A anedota poderia fazer parte de um livro que tivesse como objetivo:

a) Oferecer ao leitor textos curtos e divertidos
b) Explicar como é possível um prego andar na parede
c) Informar sobre fatos que aconteceram de verdade
d) incentivar a coleção de pregos



O urubu chegou para o sapo e disse:
- Vai ter festa no céu.
O sapo abriu o bocão e falou:
- Oooooooooooooobaaaa!!!!!

15 – O que indica as exclamações?

a) Alegria
b) susto
c) Dúvida
d) Tristeza



São Paulo, 10 de junho de 1997.

Elisa

Estamos morrendo de saudades de você. Justo agora que você se mudou pra tão longe, o pessoal da rua inventou uma que você ia gostar.
Sabe o Jorginho, A mãe dele deixou a gente brincar no porão da casa dele.
Pena que você não está aqui! Quem sabe a sua mãe traz você no sábado. Você podia dormir em casa. De Itaquera até aqui é longe mas acho que dá. Vocês vêm de ônibus, não é? Faz uma força.
Dá uma resposta pra gente. Todo mundo ta mandando um beijão pra você.

Antonia


16- Esse texto é:

a) um anúncio
b) uma propaganda
c) uma carta
d) uma história



As faixas de segurança para pedestre são pintadas no asfalto e indicam por onde as pessoas devem atravessar a rua. Os motoristas devem parar o carro antes das faixas.

17- No texto acima, a palavra pedestre quer dizer:

a) Pessoas que dirigem carro
b) Pessoas que andam pela rua a pé
c) Pessoas descalças
d) Pessoas que pintam faixas de segurança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro ler seu comentário! Beijos!

Eu sou Lúcia Martinelli

Minha foto

Eu sou Lúcia Martinelli, nasci em 28.06. Sou filha de Cândido Martinelli e Maria Grando, estudei em Passo Fundo RS, nas escolas Alfredo Pujol, Notre Dame, Joaquim Fagundes dos Reis e Cursei o 2º grau no Colégio Bom Conselho e o ensino superior na Universidade de Passo Fundo e fiz Pós –Graduação em Alfabetização Construtivista na UPF com o GEEMPA e conclui 1989. Hoje moro em Balneário Camboriú e estou fazendo todas as leituras que gostaria de ter feito e não tinha tempo para faze-las. Estou amando!

 

Trabalhei na Faculdade de Odontologia da UPF e fui secretária e auxiliar odontológico.

Exerci a função do magistério na rede particular de ensino, no Colégio Notre Dame por onde me aposentei e na rede municipal nas escolas Vidal Colussi, Fundação Educacional do Menor, UPF em Assessoramento Construtivista, Notre Dame Municipal e Antonino Xavier, onde me aposentei. Aleluia!!!

Trabalhei em turmas pela ordem dos acontecimentos: multiseriada (de pré a 4ª série) todos na mesma sala, Jardim, Pré, 1ª série, 2ª série, 2º ano, 3ª série, 4ª série, 5ª série e 1º ano do 2º grau.

Sou professora por opção porque adoro o ato de ensinar e aprender, o convivio com as crianças sentir a mundança e o crescimento acontecendo no dia a dia, ser o elo mediador entre aluno e conhecimento desafiando e apoiando para que o processo de aprendizagem aconteça o mais rápido possível. A experiência da alfabetização é algo indiscritível, só experimentando para saber a delicia da magia que é “o ver acontecer”.

 

A educação é um processo contínuo que toma o homem sobre sua responsabilidade desde a infância até a morte.

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI
ATIVIDADES E PROJETOS