10.5.13

TEATRO NICA A FORMIGUINHA


A NICA FORMIGUINHA


Nica era uma formiguinha que vivia em seu formigueiro com seu pai, sua mãe e sua irmã Zica.
Só tinha um probleminha: - Nica não gostava muito de ajudar em casa. Só queria ficar em frente a televisão, assistindo os programas, as novelas, os filmes e os desenhos animados. Tinha preguiça de levantar cedo para ir à aula, tomar banho, escovar os dentes, pentear os cabelos, arrumar o seu quarto, guardar seus brinquedos e brigava muito com sua irmãzinha Zica.
Quando ia à aula derrubava a merendeira, chutava a merendeira que já estava toda suja e estragada.
Na escola perdia seu material _ lápis, borracha, lápis de cor, tintas, massinha de modelar e seus cadernos viviam cheios de orelhas de burro.
Que formiguinha desorganizada!
Era uma formiguinha muito teimosa, muito preguiçosa e por isso não queria mais ajudar à mãe.
Certo dia, ela falou para sua irmã Zica.
-                  Zica, eu estou cansada de puxar folhas para cá para lá. Vamos juntas procurar um lugar maravilhoso, onde a gente possa ser mais feliz! Onde eu possa ser livre e onde  a gente não precise trabalhar. Mas Zica já se sentia feliz no seu formigueiro e não queria ir junto.
Nica partiu sozinha, andando, andando e cantando assim:
Eu sou Nica formiguinha,
Quero encontrar
Um lugar maravilhoso
E feliz então ficar.
De repente, Nica encontrou um ratinho.
-Bom dia, ratinho!
-Bom dia, formiguinha!
Ela perguntou:
-Seu ratinho? Você sabe onde fica um lugar maravilhoso, onde se possa ser muito feliz, onde a gente não precise trabalhar?
O ratinho, muito inteligente, prontamente respondeu:
-Este lugar fica logo ali e mostrou à esquerda.
Nica continuou andando, andando e cantando: Eu sou...
Encontrou um galo tão bonito, todo colorido que, ao ver a formiguinha Nica, abanava suas asas e cantava: Qui, Qui, ri Qui
A formiguinha saudou-o e perguntou
-                    Seu galo, o senhor sabe onde fica um lugar maravilhoso, onde a gente possa ser muito feliz? O galo fez com o bico: Qui, Qui, ri Qui Qui e mostrou à direita.
-                    A formiguinha Nica despediu-se do galo e continuou andando e cantando assim: Eu sou Nica....
-                    Olhou para a direita  e para a esquerda e viu uma ponte, era uma ponte muito grande. Andou, andou e no meio da ponte, ela encontrou um velhinho e Nica lhe falou:
-                    Vovô, o senhor que mora aqui há tanto tempo, poderia me dizer onde fica um lugar maravilhoso onde a gente possa morar e ser muito feliz? (gesto)
-                    O vovô lhe disse:
-                    Eu, minha filha, vivi tanto tempo aqui e ainda não ouvi falar desse lugar.
-                    Mas eu vou encontrar, vovô, eu sou muito esperta. Nica continuou andando, andando e cantando assim: Eu sou Nica...
-                    Depois de muito Ter andado, ela viu um rio. Como atravessar o rio? Pensou Nica.
-                    Olha lá na água! O que estou vendo? Uma folhinha!
-                    A Nica pediu carona para a folhinha. A folhinha prontamente deu carona para a formiguinha.
-                    O vento soprava forte e a água se movimentava: Chuá! Chuá! Subia e descia. Nica ficou toda molhada e chegou do outro lado do rio. Ela tremia de frio e espirrava. Nica viu uma fogueira e secou-se ao calor.
-                    Continuou andando, andando e cantando: Eu sou Nica...
-                    Olhou para os lados e viu um homem. Era um homem muito gordo. Nica cumprimentou o homem gordo e perguntou:
-                    O senhor sabe me dizer onde fica um lugar maravilhoso, onde a gente possa ser muito feliz? (gestos)
-                    O homem deu uma gargalhada bem forte e disse, _ Eu estou feliz quando eu tenho o bolso cheio de dinheiro.
-                    A formiguinha disse:
-                    Olha seu homem gordo, a gente pode Ter muito dinheiro e ser infeliz, e quando se está doente, ou briga com os outros. Mas eu vou achar um lugar para ser muito feliz (gesto)
-                    Nica despediu-se do homem gordo e partiu, andando e andando assim: Eu sou Nica..
-                    Olhou para o lado direito e para o lado esquerdo e avistou uma árvore. Subiu na árvore e lá de cima ela viu uma casa tão bonita e exclamou:
-                    Achei um lugar maravilhoso! Onde vou viver muito feliz (gesto)
-                    Nica olhou e ficou triste.
-                    A casa ficava no alto de uma montanha e sem ajuda ela não poderia chegar lá.
-                    A formiguinha avistou uma bela borboleta que voava graciosamente perto da árvore e chamou a borboleta:
-                    Borboletinha! Você poderia me dar uma carona?
A borboletinha chegou voando pertinho da formiguinha e a formiguinha agarrou-se nas asas da borboletinha e subiram voando, voando.
Chegando lá na casa maravilhosa apareceu uma menina e a formiguinha falou:
É aqui o lugar maravilhoso, onde a gente é muito feliz?
A menina olhou para a formiguinha e disse:
Para mim, formiguinha, que vivo aqui com minha irmã, meu pai, minha mãe e todos me querem bem, o lugar é maravilhoso e feliz. Mas para você, não sei. Você não pais, irmãos?
Nica lembrou da irmã, a Zica e do pai e mãe, e compreendeu que ela tinha um formigueiro, onde todos a queriam bem, e começou a chorar.
Como eu fui ingrata! Deixei a minha família! Que saudades dela!
Resolveu voltar depressa para casa. Agradeceu a menina e partiu de volta andando, e cantando assim: Eu sou Nica...
Passou por todos os lugares onde já havia passado, pediu carona para a borboleta, para a folha, passou pelo velhinho, pela ponte, pelo homem gordo, pelo galo, pelo ratinho, e chegou no seu lar, no formigueiro, onde encontrou a mamãe, o papai e Zica que, correndo ao seu encontro, a abraçaram. Nica nunca mais se sentiu infeliz onde morava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro ler seu comentário! Beijos!

Eu sou Lúcia Martinelli

Minha foto

Eu sou Lúcia Martinelli, nasci em 28.06. Sou filha de Cândido Martinelli e Maria Grando, estudei em Passo Fundo RS, nas escolas Alfredo Pujol, Notre Dame, Joaquim Fagundes dos Reis e Cursei o 2º grau no Colégio Bom Conselho e o ensino superior na Universidade de Passo Fundo e fiz Pós –Graduação em Alfabetização Construtivista na UPF com o GEEMPA e conclui 1989. Hoje moro em Balneário Camboriú e estou fazendo todas as leituras que gostaria de ter feito e não tinha tempo para faze-las. Estou amando!

 

Trabalhei na Faculdade de Odontologia da UPF e fui secretária e auxiliar odontológico.

Exerci a função do magistério na rede particular de ensino, no Colégio Notre Dame por onde me aposentei e na rede municipal nas escolas Vidal Colussi, Fundação Educacional do Menor, UPF em Assessoramento Construtivista, Notre Dame Municipal e Antonino Xavier, onde me aposentei. Aleluia!!!

Trabalhei em turmas pela ordem dos acontecimentos: multiseriada (de pré a 4ª série) todos na mesma sala, Jardim, Pré, 1ª série, 2ª série, 2º ano, 3ª série, 4ª série, 5ª série e 1º ano do 2º grau.

Sou professora por opção porque adoro o ato de ensinar e aprender, o convivio com as crianças sentir a mundança e o crescimento acontecendo no dia a dia, ser o elo mediador entre aluno e conhecimento desafiando e apoiando para que o processo de aprendizagem aconteça o mais rápido possível. A experiência da alfabetização é algo indiscritível, só experimentando para saber a delicia da magia que é “o ver acontecer”.

 

A educação é um processo contínuo que toma o homem sobre sua responsabilidade desde a infância até a morte.

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI
ATIVIDADES E PROJETOS